‘Reforma’ da Previdência: votação na CCJ e no plenário do Senado é adiada para a próxima semana

postado em: NOTÍCIAS | 0

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), confirmou que, por acordo de lideranças, a votação da ‘Reforma’ da Previdência foi adiada para a próxima terça-feira, dia 1º de outubro, às 09h e que a votação em plenário será no dia seguinte.

A expectativa é que na CCJ seja apreciado o relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre as 78 emendas apresentadas à PEC 6/2019.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) convocou sessão do Congresso Nacional para hoje, dia 24, às 15 horas. Alcolumbre quer levar a plenário 15 vetos presidenciais de Jair Bolsonaro e outros 13 Projetos de lei do Congresso Nacional.

Representantes da Fenajufe, Sisejufe-RJ e Sindijufe-MT se reuniram com a Assessoria Parlamentar da senadora Simone Tebet na articulação corpo a corpo – organizada pela Federação – em busca de barrar a tramitação da reforma na Casa. A Fenajufe segue mobilizada contra o desmonte da Previdência Social e as consequências nefastas que a proposta irá impor à população.

Com agenda cheia esta semana, a Federação, juntamente com os sindicatos de base, estiveram ontem e na manhã de hoje no Aeroporto Internacional de Brasília pressionando os parlamentares que desembarcavam em Brasília.

Adiamento

O adiamento da votação da reforma da Previdência para a semana que vem, decido hoje pelos líderes e pelo presidente do Senado foi uma manifestação de solidariedade ao colega Fernando Bezerra (MDB-PE), alvo de uma ação de busca e apreensão da Polícia Federal em seus endereços. A Polícia Federal divulgou que o líder do governo no Senado é suspeito de ter recebido propina de R$ 5,5 milhões, entre 2012 e 2014, em contratos das obras de transposição do rio São Francisco. Tratam-se de delações ainda não comprovadas. Mas a operação foi recebida no Congresso como uma declaração de guerra da Polícia Federal e da força tarefa da Lava Jato.

Surgiu às vésperas da votação do pacote anticrime pelo Câmara e em meio a articulações do Centrão em favor de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar desvios de conduta na equipe da Lava Jato levantadas por reportagens do site The Intercept Brasil em parceria outros veículos, como o UOL, Folha, El País, Revista Veja, Correio Braziliense, Buzzfeed News, entre outros.

Fernando Bezerra está ameaçado de perder o cargo no governo por conta das acusações. E os senadores resolveram mostrar ao Planalto e à Justiça que estão dispostos a transformar o episódio numa crise institucional: a votação da reforma da Previdência foi adiada para a semana que vem e corre riscos de atrasar ainda mais se Bezerra for afastado.

Faz parte desse recado a visita dos líderes ao Supremo Tribunal Federal (STF) para apresentar ao presidente da Corte, Dias Toffoli, ação que pede a anulação do pedido de busca e apreensão no gabinete do senador Fernando Bezerra Coelho.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), confirmou que, por acordo de lideranças, a votação da ‘Reforma’ da Previdência foi adiada para a próxima terça-feira, dia 1º de outubro, às 09h e que a votação em plenário será no dia seguinte.

A expectativa é que na CCJ seja apreciado o relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre as 78 emendas apresentadas à PEC 6/2019.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) convocou sessão do Congresso Nacional para hoje, dia 24, às 15 horas. Alcolumbre quer levar a plenário 15 vetos presidenciais de Jair Bolsonaro e outros 13 Projetos de lei do Congresso Nacional.

Representantes da Fenajufe, Sisejufe-RJ e Sindijufe-MT se reuniram com a Assessoria Parlamentar da senadora Simone Tebet na articulação corpo a corpo – organizada pela Federação – em busca de barrar a tramitação da reforma na Casa. A Fenajufe segue mobilizada contra o desmonte da Previdência Social e as consequências nefastas que a proposta irá impor à população.

Com agenda cheia esta semana, a Federação, juntamente com os sindicatos de base, estiveram ontem e na manhã de hoje no Aeroporto Internacional de Brasília pressionando os parlamentares que desembarcavam em Brasília.

Adiamento

O adiamento da votação da reforma da Previdência para a semana que vem, decido hoje pelos líderes e pelo presidente do Senado foi uma manifestação de solidariedade ao colega Fernando Bezerra (MDB-PE), alvo de uma ação de busca e apreensão da Polícia Federal em seus endereços. A Polícia Federal divulgou que o líder do governo no Senado é suspeito de ter recebido propina de R$ 5,5 milhões, entre 2012 e 2014, em contratos das obras de transposição do rio São Francisco. Tratam-se de delações ainda não comprovadas. Mas a operação foi recebida no Congresso como uma declaração de guerra da Polícia Federal e da força tarefa da Lava Jato.

Surgiu às vésperas da votação do pacote anticrime pelo Câmara e em meio a articulações do Centrão em favor de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar desvios de conduta na equipe da Lava Jato levantadas por reportagens do site The Intercept Brasil em parceria outros veículos, como o UOL, Folha, El País, Revista Veja, Correio Braziliense, Buzzfeed News, entre outros.

Fernando Bezerra está ameaçado de perder o cargo no governo por conta das acusações. E os senadores resolveram mostrar ao Planalto e à Justiça que estão dispostos a transformar o episódio numa crise institucional: a votação da reforma da Previdência foi adiada para a semana que vem e corre riscos de atrasar ainda mais se Bezerra for afastado.

Faz parte desse recado a visita dos líderes ao Supremo Tribunal Federal (STF) para apresentar ao presidente da Corte, Dias Toffoli, ação que pede a anulação do pedido de busca e apreensão no gabinete do senador Fernando Bezerra Coelho.

Com informações da Fenajufe e do Portal Uol.

41 1visualizações hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − 4 =