Pesquisa de doutorado: risco ergonômico, fatores psicossociais e adoecimento entre magistrados e servidores em teletrabalho na 15ª Região

postado em: NOTÍCIAS | 0

Após ter sua pesquisa de mestrado intitulada “Sintomas osteomusculares, fatores psicossociais e capacidade para o trabalho no contexto do processo judicial eletrônico (PJe)” aprovada pela Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em 2018, o servidor Fauzi El Kadri Filho, fisioterapeuta da Secretaria de Saúde do TRT-15 há 16 anos, está agora desenvolvendo sua pesquisa de doutorado junto à Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, sob orientação do Professor Doutor Sérgio Roberto de Lucca. Enquanto a primeira pesquisa abordou as modificações dos fatores de risco ocupacionais decorrentes da implementação do PJe, destacando as relações entre os fatores psicossociais do trabalho, os sintomas osteomusculares e a capacidade para o trabalho entre os servidores de primeira instância, desta vez serão analisados também os aspectos ergonômicos e os transtornos mentais comuns no contexto do trabalho remoto e do teletrabalho entre servidores e magistrados do TRT da 15ª Região.

Nesta nova pesquisa, serão convidados os servidores de 1ª e 2ª instâncias, além de servidores da área administrativa, que realizam o teletrabalho de forma regulamentada ou o trabalho remoto em decorrência da pandemia. Diferentemente do trabalho presencial, em que as condições ergonômicas são conhecidas e relativamente uniformes entre todos os servidores, um dos objetivos da pesquisa é avaliar de que modo as condições de trabalho em casa estão relacionadas à saúde física e mental. Adicionalmente, alguns aspectos relacionados especificamente ao teletrabalho serão analisados, a fim de que possam subsidiar ações preventivas no âmbito da Secretaria de Saúde do TRT da 15ª Região.

Os servidores que participarem desta etapa da pesquisa serão convidados para participar novamente entre agosto e outubro do próximo ano, de forma que seja estabelecido um acompanhamento no decorrer do tempo e seja possível compreender melhor de que forma os fatores de risco no teletrabalho se relacionam com a ocorrência de problemas osteomusculares e com a saúde mental dos servidores. “Contamos com o apoio da Administração e precisamos da participação do maior número possível de servidores nesta nova pesquisa, pois é a partir de uma participação expressiva que conseguiremos tirar melhores conclusões a respeito das relações entre o teletrabalho e a saúde dos servidores e assim propor e desenvolver ações preventivas junto à Secretaria de Saúde do Tribunal”, afirma o servidor e pesquisador.

IMPORTÂNCIA

O Sindiquinze apoia esta pesquisa por entender ser extremamente relevante traçar um panorama geral sobre a saúde dos servidores da 15ª Região e para saber quais medidas preventivas podem ser colocadas em prática com base no que foi apurado cientificamente. Assim como a dissertação de mestrado de Fauzi, este projeto de doutorado, por ser uma espécie de continuidade e aprofundamento da análise, agora com critérios ainda mais rígidos na coleta de dados, é um estudo extremamente importante tanto do ponto de vista acadêmico como no âmbito do Judiciário Federal.

Por isso, o Sindiquinze pede que os servidores respondam prontamente a pesquisa.

PUBLICAÇÕES

A pesquisa de mestrado de Fauzi gerou uma ampla gama de resultados, que foram em parte apresentados no 18º Congresso de Stress da ISMA-BR, em Porto Alegre-RS, e em parte publicados pela Revista Brasileira de Medicina do Trabalho (link AQUI) e pela revista norte-americana WORK: A Journal of Prevention, Assessment & Rehabilitation (link AQUI).

Por Antonio Pecht Jr.

Baixe agora o aplicativo SINDIQUINZE para celulares Android e IOS!
Veja como é simples e rápido ter todas as notícias, serviços prestados e benefícios oferecidos pelo sindicato, em um só lugar!
Aproveite e também atualize seu cadastro pelo APP!

252 1visualizações hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =