IX Encontro Nacional dos Estudantes Indígenas, entre 25 e 30 de julho, em Campinas, será o maior da história

postado em: NOTÍCIAS, SOLIDARIEDADE | 0

A 9ª edição do Encontro Nacional dos Estudantes Indígenas (ENEI) será realizado entre os dias 25 e 30 de julho, na Unicamp, em Campinas, e promete ser o maior já realizado, com 2 mil estudantes universitários de origem indígena inscritos. O Sindiquinze é um dos apoiadores do evento, por meio do seu Núcleo de Solidariedade.

De acordo com Arlindo Baré, estudante do 4ª ano de Engenharia Elétrica e coordenador-geral do evento, uma conjunção de fatores fez com que o evento deste ano alcançasse uma grande dimensão. “Pela primeira vez a Reitoria da Unicamp abraçou o evento, em termos de organização e fomento. Também a parceria com o Instituto Alok e com duas empresas ligadas à área de sustentabilidade agregou muito em termos de visibilidade”, afirma Arlindo, que é da etnia Baré, com origem na região noroeste do Estado do Amazonas, na fronteira entre Brasil, Colômbia e Venezuela.

Integrante do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da universidade, Arlindo também é o representante discente no Conselho Universitário da Unicamp (Consu) e membro da Comissão Assessora para a Inclusão Acadêmica e Participação dos Povos Indígenas (Caiapi).

Hoje o Enei é o maior evento estudantil indígena do País e os mais de 2 mil participantes nesta edição significam mais que o triplo dos 600 que participaram da última, realizada em Porto Alegre em 2019. Cerca de 80% dos intelectuais que são referências entre as lideranças indígenas vão participar do evento, nomes como Ailton Krenak, Sônia Guajajara, Raoni Pataxó, Edson Kaiapó, Célia Xakriabá, Daniel Munduruku, Almir Suruí e Davi Guarani.

Programação

Além de muitas atividades culturais e desfiles de moda, o encontro terá painéis sobre o Marco Temporal e a permanência dos estudantes indígenas no ensino superior, e fóruns sobre saúde, educação e meio-ambiente e sustentabilidade. O próprio Alok, um dos DJs mais conhecidos do mundo, participará de uma roda de conversa no ENEI. E representantes das duas empresas parceiras do evento, a Sistemic, de crédito de carbono, e a Campus Sustentável Unicamp, comandarão painéis sobre sustentabilidade.

Para Arlindo, além das lutas que os indígenas travam desde sempre, o contexto político atual, muito negativo para a sociedade em geral, mas mais particularmente para os povos originários, eleva a importância do evento sediado em Campinas. “O tema do ENEI deste ano é ancestralidade e contemporaneidade, para que possamos entender não só como nos fortalecermos no contexto da universidade, mas como trazer para a sociedade em geral os nossos anseios, a diversidade e cultura dos povos que existem hoje no Brasil. A nossa teoria do bem viver, por exemplo, que pensa muito no coletivo, que remete a uma lógica de vida diferente. Atualmente, é a destruição, para construir algo precisa destruir. Desmata, polui, queima a floresta. Temos outra visão”, explica o jovem líder indígena, cujo nome em cartório é Arlindo Alemão Gregório.

De acordo com ele, atualmente o Brasil tem 75 mil estudantes indígenas no ensino superior, sendo 75% em instituições privadas e 25% nas universidades públicas. “Precisamos discutir o acesso, a permanência, fazer uma reflexão sobre a presença indígena na universidade. Vinculado a isso, não podemos nos esquecer das nossas grandes lutas, como a demarcação das nossas terras, e como pode colaborar para construir um país melhor e um mundo melhor”, destaca o estudante, que tem seu avô, cacique Ermelindo Baré, a figura que o inspirou a estudar e contribuir de alguma forma na luta pelos povos indígenas.

Vakinha

No evento também será feito um congresso para a instalação da União Plurinacional dos Estudantes Indígenas (UPEI Indígena), que será a entidade organizada e representativa para discutir as demandas dos estudantes indígenas.

Para garantir hospedagem e alimentação para os 2 mil participantes do encontro, a organização do evento solicita ajuda financeira. Contribua com qualquer valor pela chave Pix (e-mail) enei.organizacao@gmail.com.

Por Antonio Pecht. Jr. 

Baixe agora o aplicativo SINDIQUINZE para celulares Android e IOS!
Veja como é simples e rápido ter todas as notícias, serviços prestados e benefícios oferecidos pelo sindicato, em um só lugar!
Aproveite e também atualize seu cadastro pelo APP!

 

 

313 2visualizações hoje

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + treze =